sexta-feira, 10 de janeiro de 2014


Que bom que você veio. Entra, fica a vontade. Pode se sentar. Aceita um suco, uma água? Tá mesmo calor esses dias...
(silêncio)

Como faz tempo...

Muito bem, talvez você queira ouvir minha história. Que bom. O fato é que, não sei se você soube, mas a Amalinha sumiu. Acho que ela fugiu. E desde então, meu filho.. Eu me resumo a isto. Um corpo magro, cansado, com olheiras e cabelos brancos. Sejam todos bem vindos.
Amalinha era quem me trazia a loucura, sonhos, palavras, devaneios vitais .. Amalinha era a vivacidade que havia em mim. Por algumas escolhas minhas, minha vida me foi suspensa. E essa menina levada acho que não entendeu bem os fatos, achou tudo chato, pulou o muro e ganhou o mundo. Longe de mim. Imagino alguns lugares onde possa ter se enfiado, sim... mas estão tão tão distantes, que já me sinto velha demais pra ir procurá-la.  Meus ossos doem e o tempo é curto demais..

Fecha um pouco a cortina, por favor.. Esse sol vai queimar minhas plantinhas, coitadas. Assim está ótimo, obrigada.

Eu fiquei vazia. A vida, de tão cheia, tirou minha Amalinha de mim. Fiquei sem tempo pra ela. Não tenho tempo nem pra mim, quem dirá pra ela! Eu só não imaginava que a vida sem ela seria tão sem graça. Tão amarga. Teria feito diferente.. ou estou tentando começar a fazer. vai que ela volta...

Tive uma ideia. Me dá aqui sua mão, meu filho. Essa coluna que não me deixa mais levantar.. aaaaai, pronto. Brigada.. 
(abre a cortina, se debruça na janela)
A M A L I N H A, V O L T A , M I N H A  F I L H A ! SE ALGUÉM VIU ESSA MENINA PELA RUA, MANDA ELA VOLTAR JA! A M A L I N H A A A A A A A A A A A A A A A A A A A A

O vizinho do 601 detesta barulho, mas ele que me desculpe. Eu preciso tentar.
Tá me achando uma velha maluca, né.. já não esquento mais. nem comigo eu esquento.

Me deu um sono agora.. Você já tá de saída ? Então eu vou entrar e descansar.
Muito obrigada pela visita.

Olha! Quando estiver mais fresco você volta, que aí eu passo um cafezinho. Com esse calor não dá.
Chegou o elevador. Vai com Deus.




terça-feira, 13 de agosto de 2013

pra mim


você é pra mim




você é meu bichano


é meu bichinho


é meu cachorro


é meu passarinho


é minha girafa


meu lagartão


meu amor de bicho


meu porco grandão


meu amor animal


meu amor natural


meu amor de bichinho


meu gatinho




te amo tão manso


te amo tão feroz




meu amor de repente , meu amor é você.




e naquele momento, a pressão da rolha explodindo repentinamente na sua cara era eu.
era eu bomba, travestida de rolha, envolta na pressão, pronta pro ataque de explosão
e o chiado da espuma era eu, gargalhando baixinho; o chiado debochado antes da explosão.
e aquele silêncio constrangedor também era eu, observando calmamente sua reação.
eu estava no sorriso disfarçado de todos no salão.
eu era o espelho satisfeito de refletir sua cara de pastelão.
eu era tudo o que você, até então, disse não.

a raiva que arrebenta nos dentes que a boca tranca
vem dos nervos a raiva que explode na pele
é a mordida do cavalo no teu saco
são todos os poros do seu corpo com um caco de vidro enterrado
é a raiva fina, e é a raiva trovoada
raiva viva, que explode no meio da sua cara
que queima dentro do seu cú
raiva sem escrúpulos,
raiva rasgada ao meio, em carne viva e pingando sangue
raiva depenada, despida de qualquer outra coisa
raiva mata mais que fogo
raiva é fogo que corre nas veias e explode no olho
não olha pra mim
que raiva cega
e mata.

tem mosca rondando o sonho
ou o sonho ta rondando a mosca...

tem minhoca na cachola,
ou a cachola ta bichada..

tá tudo como era..
mas agora empoeirado.

pfffffffffff

terça-feira, 2 de outubro de 2012

a lua lá cheia, cheia da gente, da vida da gente cheia,
a lua lá cheia, cheia da vida da gente cheia de vida e cheia da vida
a lua cheia de vida
a lua cheia de gente
a lua lá cheia, cheia da gente vazia
a lua cheia, cheia de um monte de coisa..

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

de tanto amor louco, chego a querer habitar o seu corpo
renunciar minha pele
e virar sua inquilina
de você eu quero até e mais ainda
chega mais pra lá que eu tô indo morar aí.